Clientes de agência de viagem de Belo Horizonte denunciam suposto golpe e ficam no prejuízo | Minas Gerais

 

Destinos paradisíacos, imagens “instagramáveis”, oportunidade de conhecer cidades mineiras e outros pontos turísticos no país. Com uma página no Instagram com mais de 30 mil seguidores, a agência de viagem Travels EcoTur, que afirma ser de Belo Horizonte, oferece vários pacotes, mas, desde o início do ano, clientes denunciam que as viagens não ocorreram nas datas marcadas e não foi realizado a devolução do valor pago.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou, nesta terça-feira (5), que quatro boletins de ocorrência, com registros de estelionato, foram registrados, mas as vítimas não fizeram representação, que é necessário para que os fatos comecem a ser apurados. (veja a nota na íntegra mais abaixo)

O estudante Luan Henrique, de 21 anos, perdeu R$ 1.660. O jovem é morador de Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais, e conheceu a agência através das redes sociais.

“No ano passado fiz uma viagem com a agência para Uberlândia (Triângulo Mineiro) e deu tudo certo. Lá mesmo, a Lavínia, responsável pelo passeio, começou a oferecer outros pacotes”, afirmou.

Já em janeiro deste ano, ele resolveu participar de um evento de paraquedismo na cidade de Boituva, em São Paulo. Realizou o pagamento total através de boleto bancário.

No primeiro momento, a viagem estava marcada para fevereiro, mas, segundo ele, Lavínia disse que precisou cancelar devido às condições climáticas na cidade.

“A viagem foi remarcada para abril. O horário marcado em Belo Horizonte era 12h. Às 9h30 do mesmo dia, ela me mandou mensagem informando que tinha cancelado de novo. Eu falei que queria o estorno do valor pago e, a partir, ela me bloqueou”, explicou.

Luan teve a viagem cancelada e não recebeu o dinheiro de volta — Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Uma outra cliente, de 38 anos, fechou um pacote para quatro dias no Jalapão, no Tocantins, por R$ 2.280. No valor estavam inclusos hospedagem, alimentação e passeios. A viagem foi paga de dez vezes no cartão de crédito da mãe, e a mulher embarcaria no dia 11 de janeiro.

“Faltando um dia para a viagem, a Lavínia disse que não tinha como viajar pois estava chovendo lá. Perguntou se eu não poderia ir em outra data, mas não tinha como. Estava de férias naquele período, com tudo arrumado. Liguei para o banco e a atendente disse que a empresa precisaria entrar em contato falando que não prestou o serviço. Mas ela não fez isso e continuo pagando as parcelas”, contou a mulher, que pediu para não ser identificada.

Clientes criaram um grupo no WhatsApp onde seguem relatando os problemas. Ao todo são 36 participantes.

“A agência não tem um espaço físico. A responsável pela empresa desapareceu. Eu tinha uma viagem para Boituva e paguei R$ 1.600,00 em três parcelas. Ela cancelou por várias vezes. O dinheiro não foi devolvido, mas soube que a venda dos pacotes continuam”, afirmou Leonardo Gerth, 38, contador.

Por mensagem, uma representante da Travels EcoTur disse ao g1 Minas que “ocorreram problemas extracontratuais e a empresa está adotando providências administrativas e judiciais para sanar situações ocorridas”.

Segundo ela, nenhum cliente “ficará em prejuízo”, e todos que compraram passeios não realizados serão reembolsados.

O que diz a Polícia Civil

“Foram localizadas quatro ocorrências, com registros de estelionato, mas nenhuma das vítimas procedeu à representação. Por ser um crime de ação penal condicionada à representação da vítima, conforme determinação legal, a orientação da Polícia Civil é que a vítima compareça à delegacia mais próxima para formalizar a representação, caso tenha interesse em dar prosseguimento ao feito”.

Cliente que iria para o Jalapão ficou no prejuízo — Foto: Redes Sociais / Divulgação

Veja os vídeos mais assistidos do g1 Minas:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.